Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Avifauna do Parque da Devesa - Observação e Registo

Projeto que visa promover a observação, a identificação, o registo fotográfico e a divulgação das espécies da avifauna que residem ou visitam o Parque da Devesa em Vila Nova de Famalicão.

Avifauna do Parque da Devesa - Observação e Registo

Projeto que visa promover a observação, a identificação, o registo fotográfico e a divulgação das espécies da avifauna que residem ou visitam o Parque da Devesa em Vila Nova de Famalicão.

Pato-real (Anas platyrhynchos) - "Ave da Semana" (2015-06-21)

IMG_4444_ac.jpg

 E a "Ave da Semana" é... o 4.ª Pato-real (Anas platyrhynchos). Talvez seja a ave mais conhecida pelas pessoas que visitam o Parque da Devesa. O Pato-real é residente no parque e é observado muito facilmente. Mede entre 50 a 60 cm de comprimento e tem 81 a 95 cm de envergadura de asas. “É o mais conhecido antepassado do pato doméstico. Reproduz-se em parques, canais de cidades, lagos eutróficos, pântanos de bosques e orla marítima e também meios aquáticos muito pequenos (charcas, valas, etc.) (…) Nidifica em locais variados: debaixo de arbustos, em buracos de árvores, em ninhos artificiais, em edifícios ou na sua proximidade. ”  (Guia de Aves – Guia de Campo das Aves de Portugal e da Europa, Assírio & Alvim, 2012)

Guarda-rios (Alcedo atthis) - "Ave da Semana" (2015-06-14)

IMG_0251_ac.jpg

E a "Ave da Semana", em dia de Santo António, é... o Guarda-rios (Alcedo atthis). Ave muito bonita, residente no Parque da Devesa, observada praticamente em todas as visitas efetuadas. É relativamente fácil observá-la, mas muito difícil fotografá-la em boas condições, pelo que estas fotografias bem podem ser consideradas um presente do Santo António.
Mede entre 17 a 19,5 cm de comprimento. “Reproduz-se em cursos de água pequenos ou médios , de águas calmas e ricos em peixe, c...om algumas árvores e locais propícios à nidificação nas margens; ocasionalmente em lagos; no Inverno pode encontrar-se em estuários e no litoral. Pousado fica imóvel à procura de pequenos peixes, capturando-os num mergulho vertical. Pode peneirar enquanto procura alimento. Bastante tímido e nervoso. ” (Guia de Aves – Guia de Campo das Aves de Portugal e da Europa, Assírio & Alvim, 2012)